Como deve ser feita a inserção da arbitragem nos contratos internacionais

View this post on Instagram

Os contratos internacionais têm uma característica em comum: a celeridade. Assim, a arbitragem é o meio extrajudicial de solução de conflitos (direitos disponíveis) mais indicado em todo o mundo. No que ela não couber, o ordenamento jurídico público interno escolhido pelas partes contratantes. Não vou tratar aqui das normas de Direito Internacional Privado, em uma outra ocasião discorro sobre o tema. A cláusula compromissória é a convenção através da qual as partes em um contrato submetem os litígios que possam surgir durante a relação jurídica. #arbitragem #cláusulacompromissória #contratosinternacionais #internacionalistas🌎 #belohorizonte #homeoffice #comercioexteriordobrasil #comerciointernacional

A post shared by Ana Paula Paixão Martins (@paixaoconsultoria) on

Arbitragem e contratos internacionais!

Desde a época da faculdade de Direito eu me enquantei pela arbitragem como método extrajudicial de solução de controvérsias. De lá para cá é tão bonito ver o trabalho dos colegas advogados com esse brilhante instituto.

2020 é um ano de muitas mudanças por aqui. A minha loja ATITUDE ORGÂNICA está caminhando bem, logo chegou a hora da advocacia e do comércio exterior. Conto com dois brilhantes profissionais desenvolvedores (quem precisar indico) para me ajudar com as redes sociais e websites.

Todo contrato internacional precisa de métodos de soluções de conflitos céleres, nem tão muito burocráticas, porém, muito sérias.

A arbitragem internacional é bastante utilizada no mundo inteiro e o que é curioso no Brasil é sabe que não é muito utilizada nos contratos nacionais comuns e sim nos de maior valor, tipo engenharia.

Acontece pessoal que contratos todos são céleres, leis entre as partes e precisam de soluções de controvérsias que passem bem longe do Poder Judiciário Brasileiro, porque, com todo respeito, é lento.

O advogado é sim o profissional habilitado para fazer contratos, desculpem-me meus colegas do comércio exterior. Porque a classe sabe redigir, analisar, alterar contratos.

Contratos de compra e venda internacional de mercadorias (Ah, não estou falando dos INCOTERMS, porque os mesmo são cláusulas contratuais) não são de adesão, viu Pessoal do COMÉRCIO EXTERIOR DO BRASIL (eu também sou consultora de comex, ok)!

Cada caso é um caso, cada caso tem suas particularidades e as partes podem até ser iguais mas não podem ser cópias dos primeiros, ok?

Se precisar, só chamar!

Já a arbitragem precisa ser inserida através da inserção da cláusula compromissória mas nada impede das partes escolherem a arbitragem sem está previamente constituída no contrato. É interessante nomear a Câmara Arbitral que irá solucionar a controvérsia do contrato e, no caso, as partes precisam verificar com a Câmara o procedimento da mesma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.