Banco do Brics financiará até US$ 2,5 bi em projetos em 2017

Muitos projetos a caminho !!!

O conselho de diretores do Novo Banco de Desenvolvimento criado pelos países do Brics pretende alocar US$ 2,5 bilhões em projetos em 2017.

“Estamos trabalhando para aumentar o financiamento de projetos nos países-membros do Novo Banco de Desenvolvimento”, declarou o presidente da isntituição, Kundapur Vaman Kamath.

Em 2016, o Novo Banco aprovou o financiamento de US$ 1,5 bilhão  em projetos de investimento nos países do Brics.

Já na última terça-feira (22), o banco aprovou uma injeção de US$ 350 milhões em um projeto para a construção de 1,5 mil quilômetros de estradas na Índia e de US$ 291 milhões para a construção de uma usina eólica na China… (GAZETA RUSSA)

Brics lança incubadora para empregadores internacionais

Brics launches incubator for international employers

Publicado em 7 de novembro de 2016

O seminário “Brics, cooperação para o desenvolvimento”, ocorrido no final de outubro na Universidade Russa da Amizade dos Povos, em Moscou, reuniu 150 participantes de mais de 20 países e resultou em novos projetos para incrementar a interação entre universidades e empregadores internacionais na seleção e treinamento de estudantes internacionais, assim como no desenvolvimento de programas educacionais.

O primeiro programa da Universidade em Rede do Brics começará a funcionar em 2017. Por meio da rede, os estudantes das universidades afiliadas poderão transitar entre as instituições participantes até a graduação, recebendo ao final do curso dois diplomas… (GAZETA RUSSA)

Marcos Pereira endossa na Índia documentos para integração entre os Brics

O Brasil precisa de uma grande reforma que garanta a desburocratização, como por exemplo, da importação, exportação, criação e extinção de empresas, registro de marcas e patentes (internacionalização), pagamento de tributos, etc

Nova Déli (13 de outubro) – Ao participar do 6° Encontro de Ministros de Comércio dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), em Nova Déli, na Índia, o ministro Marcos Pereira endossou um conjunto de documentos que busca integrar o comércio e o desenvolvimento dos países do grupo. O ministro participará amanhã, em Goa, da reunião de cúpula ao lado do presidente Michel Temer.

Os textos assinados pelos ministros trazem temas como desburocratização e facilitação de comércio, fomento do comércio de serviços, cooperação entre micro e pequenas empresas, promoção das exportações e maior coordenação das políticas comerciais dos cinco países. Juntos, os Brics representam um PIB de mais de US$ 16 trilhões.

“Apesar do tamanho das nossas economias, ainda temos desafios típicos de países em desenvolvimento, tais como a busca pelo crescimento continuado e sustentável, o combate ao desemprego, a erradicação da pobreza e da fome, a superação da burocracia, o fomento da educação de qualidade e da inovação e o estímulo ao comércio”, discursou Marcos Pereira… (MDIC)

 

China quer área de livre-comércio entre os Brics

Seria um desastre para o Brasil. Sobraria para nós indústria do que?

Genebra – A China defende a criação de uma área de livre-comércio entre os países dos Brics, bloco formado por Brasil, Rússia, Índia e África do Sul, além dos próprios chineses.

O anúncio foi feito pelo Ministério do Comércio em Pequim, às vésperas da cúpula do grupo, em Goa. Consultados pelo jornal O Estado de S. Paulo, diplomatas em Brasília deixaram claro que a proposta não conta com o apoio imediato do governo brasileiro.

Na avaliação dos chineses, uma área de livre-comércio entre esses países seria “uma forma significativa de cooperação”. Em uma coletiva de imprensa para apresentar os objetivos de Pequim na reunião, o porta-voz do ministério, Shen Danyang, indicou que um acordo iria remover tarifas e barreiras não tarifárias, daria espaço para as vantagens competitivas de cada país a aprofundaria investimentos mútuos… (EXAME)

Banco dos Brics financia mini-hidrelétricas na Carélia

São projetos como esse que o Banco dos Brics irão financiar nos próximos anos. Essas usinas irão fornecer energia a regiões remotas na Rússia sem prejudicar o meio ambiente.

Olha o exemplo a ser seguido Brasil !

Por causa disso acabo de criar uma nova categoria no blog: BRICS ! Serão muitos projetos a serem colocados em prática nos países.

No final de julho, o conselho de diretores do Novo Banco de Desenvolvimento, criado pelos países do Brics, aprovou a transferência de US$ 100 milhões à Rússia para diversos projetos de construção de miniusinas hidrelétricas.

O dinheiro será destinado à construção de duas pequenas usinas na Carélia, região russa que faz fronteira com a Finlândia.

As hidrelétricas devem resolver o problema de fornecimento de energia a regiões remotas… (GAZETA RUSSA)