Camex autoriza ação na OMC contra subsídios do Canadá à Bombardier

Continuação ! A disputa entre Embraer e Bombadier vc encontra aqui. Por Amélia Regina Mussi Gabriel.

A Câmara de Comércio Exterior (Camex) autorizou a abertura de procedimento de solução de controvérsias contra o Canadá na Organização Mundial do Comércio (OMC). O Brasil vai questionar no organismo os subsídios concedidos pelo Canadá à indústria aeronáutica, especificamente à empresa Bombardier.

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, este ano o governo da província canadense de Québec injetou US$ 2,5 bilhões na companhia e haveria indicações de que ocorrerá em breve novo aporte, para assegurar a viabilidade da nova linha de aviões C-Series. A linha, segundo o ministério, seria colocada no mercado com preços artificialmente reduzidos… (AGÊNCIA BRASIL)

China está pronta para defender status de ‘economia de mercado’ na OMC

O mundo não está preparado ! A China exporta produtos a preços muito baixos para o mundo inteiro, inúmeras medidas antidumping estão ativas. E agora?

Na véspera da expiração, neste domingo (11), de uma cláusula do tratado de adesão da China à OMC, Pequim terá que defender seu novo status de “economia de mercado” perante os demais sócios, que se negam a reconhecê-la como tal pelo medo de uma enxurrada de produtos a preço de custo.

Em 11 de dezembro completa-se o décimo quinto aniversário da adesão da China à Organização Mundial do Comércio (OMC), em um contexto marcado pela desconfiança geral com as exportações chinesas, em especial dos Estados Unidos, onde o presidente eleito, Donald Trump, ameaça impor direitos de alfândega de 45%…. (G1)

Brasil questiona na OMC sobretaxa dos Estados Unidos ao aço brasileiro

O Brasil é o campeão em consultas na OMC !

O Brasil questionou hoje (11) na Organização Mundial do Comércio (OMC) sobretaxas cobradas pelos Estados Unidos na importação do aço brasileiro. Segundo nota do organismo internacional, o governo brasileiro abriu consultas a respeito do assunto.

O Brasil alega que as medidas dos Estados Unidos estão em desacordo com diversos procedimentos e disposições do Acordo de Subsídios e Medidas Compensatórias e com o Acordo Geral de Tarifas e Comércio (Gatt, na sigla em inglês), este último de 1994.

Segundo a OMC, o pedido de consultas inicia formalmente uma disputa no organismo internacional. Nessa fase, as partes podem discutir o tema e tentar encontrar uma solução satisfatória. Depois de 60 dias, caso não haja acordo, o reclamante pode pedir a abertura de painel… (AGÊNCIA BRASIL)

China: Blairo Maggi diz que o Brasil tem condições de atender demanda mundial de alimentos

 

02/09/2016 16:02Visita à Asia

China: Blairo Maggi diz que o Brasil tem condições de atender demanda mundial de alimentos

Governo brasileiro quer ampliar a participação do agronegócio no mercado mundial

Durante palestra no Seminário Empresarial de Alto Nível Brasil-China, em Xangai, o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) afirmou que a agricultura brasileira tem capacidade de aumentar ainda mais a sua participação no mercado mundial do agronegócio.  “O complexo do agro é bastante diversificado no Brasil. Temos condições de atender a toda população brasileira e as demandas mundiais”, garantiu.
Maggi revelou que sua meta a frente do Ministério da Agricultura é aumentar a participação brasileira no mercado mundial de 6,9% para 10% em um prazo de cinco anos. Para tanto, ele fez um apelo ao presidente Michel Temer para que peça ao presidente da China, Xi Jinping, com quem manterá um encontro neste sábado, que abra a possibilidade de ampliar o comércio com o Brasil. … (MAPA)

Secretário-executivo do Mapa participa de reunião da OMC na quinta (30), em Genebra

Muito trabalho pela frente. O Brasil precisa abrir novos mercados para nossos alimentos, para isso é necessário trabalhar para melhorar a qualidade de nossos produtos.

O secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Eumar Novacki, participará nesta quinta-feira (30) da reunião do Comitê de Medidas Sanitárias e Fitossanitárias da Organização Mundial do Comércio (OMC), em Genebra (Suíça). Também faz parte da agenda de Novacki de reuniões bilaterais com embaixadores de países membros da OMC, como China, Estados Unidos e Coreia do Sul, além da União Europeia, para tratar de temas de interesse comum.

Nesses encontros, o secretário-executivo do Mapa defenderá a candidatura brasileira à  presidência da Comissão do Codex Alimentarius – referência mundial para elaboração de normas sobre alimentos.

Índia anuncia próxima cúpula do Brics para outubro em Goa

Que boas oportunidades de negócios e investimentos cheguem urgente no Brasil !

A 8ª Cúpula do Brics, grupo de países que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, será organizada na cidade indiana de Goa, no sul da Índia, em 15 e 16 de outubro, informou o Ministério das Relações Exteriores do país nesta terça-feira (22).

A Índia assumiu recentemente a presidência do Brics das mãos da Rússia, que liderou as ações do grupo ao longo de 2015.

No futuro encontro são esperados “mais de cinquenta reuniões e eventos, entre ministros, altos funcionários e grupos de trabalho” de diferentes escalões, informou o chefe da pasta de Relações Exteriores indiano, Sushma Swaraj, durante o anúncio… (GAZETA RUSSA)

Bancos russos poderão recorrer a yuan para aumentar capitalização

Excelente iniciativa ! Rússia e China estão se recusando a usar o dólar americano nas relações bilaterais.

O Banco Central (BC) da Rússia incluirá o yuan chinês na lista de moedas que podem ser usadas para pagar os capitais autorizados dos bancos nacionais. O objetivo, segundo fontes internas, é aumentar a aplicação de investidores chineses em instituições financeiras russas.

“O projeto do novo regulamento que incluirá o yuan na lista de moedas a serem usadas para pagar os capitais autorizados dos bancos foi aprovado pelo Conselho Administrativo do BC”, declarou uma fonte do órgão regulador ao jornal “RBC”… (GAZETA RUSSA)

Senado aprova acordo de Bali para facilitar comércio

Maravilha !

O Senado Federal aprovou hoje (3) o acordo de facilitação de comércio da Organização Mundial do Comércio (OMC) firmado em Bali, na Indonésia. O tratado, que visa à desburocratização do comércio exterior e à eliminação de barreiras administrativas, é parte do Pacote de Bali, considerado histórico por ser o primeiro acordo comercial global em 20 anos.

Aprovado na Câmara dos Deputados em fevereiro, o acordo seguiu para o Senado. Antes de ir para o plenário da Casa, foi aprovado nesta manhã pela Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado, que aprovou também um requerimento de urgência para o prosseguimento da tramitação.

Com a aprovação pelo Brasil, o número de países que ratificaram o acordo chega a 71. Para que entre em vigor, no entanto, é preciso que dois terços dos membros da OMC, ou seja, 108 países, tenham ratificado o acordo… (MDIC)

Camex autoriza abertura de contencioso na OMC contra a Tailândia

Mais um contencioso do Brasil na Organização Mundial do Comércio ! 

Brasília (1° de março) – O Conselho de Ministros da Câmara de Comércio Exterior (Camex) autorizou o Ministério das Relações Exteriores (MRE) a iniciar um contencioso junto ao Órgão de Solução de Controvérsias da OMC contra a Tailândia sobre subsídios aos produtores de açúcar. 

A autorização da Camex atende à solicitação da União da Indústria de Cana de Açúcar (Unica), que alega violação de acordos da OMC. Em reunião realizada nesta segunda feira (29/02), em Brasília, representantes dos sete ministérios que compõem a Camex também aprovaram prorrogações de direitos antidumping para calçados e ímãs de ferrite importados da China e discutiram as estratégias para ampliar as exportações brasileiras. Continuar lendo

Ministros do G20 buscam respostas a desafios da economia mundial

Boa tarde Seguidores,

O países precisam de união para retomar o comércio internacional com índices melhores. 

Os ministros da Economia e presidentes de bancos centrais do G20 se reunirão nesta sexta-feira (26) em Xangai a fim de limar diferenças e de coordenar respostas frente aos múltiplos desafios da economia mundial. O Fundo Monetário Internacional (FMI) advertiu na quarta-feira sobre os “riscos de descarrilamento da recuperação econômica”, citando entre os fatores de risco a desaceleração da economia chinesa, a queda do preço do petróleo e as turbulências dos mercados financeiros… (GAZETA DO POVO)