CNC orienta que cafeicultores não abram novas lavouras no Brasil

A queda de preços do café arábica é inevitável. A hora é de inserí-lo na casa dos brasileiros.

Por Thais Fernandes

Depois de reiteradas informações sobre a crise hídrica capixaba e o aperto no fornecimento de café interno no Brasil, o mercado externo parece já ter precificado o impacto dos acontecimentos no maior país produtor do mundo. No início de abril, a Organização Internacional do Café (OIC) avaliou que com estoques cada vez maiores nos países importadores e perspectivas favoráveis para a safra de 2017/2018, no Brasil principalmente, abrandaram um pouco as preocupações com a oferta.

A OIC pontou, ainda, que “esse panorama, combinado com perspectivas cada vez mais positivas para a safra 2017/2018, indica que não haverá uma inversão do declínio gradual dos preços no mercado observado no presente momento”. O dado refletiu no posicionamento do Conselho Nacional do Café (CNC), que teme a queda de preços contínua nos próximos meses… (CAFÉ POINT)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *