Na fila tem 35 acordos e outros instrumentos fundamentais para o comércio exterior assim como para o Direito Internacional.

FILE PHOTO: Aerial view of containers at a loading terminal in the port of Hamburg

Comércio: tanto o Legislativo quanto o Executivo têm demorado muito tempo para cumprir sua parte no processo (Fabian Bimmer/File Photo/Reuters)

“Brasília – O Brasil tem hoje uma fila de 35 acordos já negociados e assinados com outros países, mas que ainda aguardam a burocracia andar para que possam entrar em vigor. Na lista, há desde tratados de livre-comércio, que abrem mercados aos produtos brasileiros no exterior, até acordos para evitar a dupla tributação, que permitem a empresas e investidores pagarem menos impostos.

As empresas brasileiras, por exemplo, já poderiam disputar licitações para compras dos governos de Argentina, Paraguai e Uruguai – um mercado potencial de US$ 80 bilhões. Mas, apesar de um pacto nesse sentido já ter sido firmado com os vizinhos, as regras não entraram em vigor. Os brasileiros também já poderiam estar livres de pagar a tarifa de “roaming” ao usar o celular no Chile. O acerto que permitirá tal vantagem, no entanto, ainda não foi validado”..

Para ler a notícia completa acesse EXAME