Entra em vigor em âmbito internacional o Acordo sobre Facilitação de Comércio da OMC

Ao trabalho Brasil !

Brasília (22 de fevereiro) – A Organização Mundial do Comércio (OMC) anunciou nesta quarta-feira a entrada em vigor do Acordo sobre Facilitação de Comércio. Concluído na Conferência Ministerial de Bali, em 2013, ele busca conferir maior transparência na relação entre governos e operadores de comércio exterior, bem como reduzir impactos burocráticos sobre importações e exportações. Segundo a OMC, o acordo poderá aumentar as exportações mundiais em até US$ 1 trilhão por ano. Os principais beneficiados serão países em desenvolvimento, que possuem maior espaço para ganhos de eficiência.

O ministro Marcos Pereira esteve em Genebra no final de 2016 e tratou do tema durante encontro com o diretor-geral da OMC, Roberto Azevêdo. “O início da vigência do Acordo de Facilitação de Comércio da OMC é um impulso renovador para o comércio mundial. Ele traz obrigações multilaterais que levarão a maior eficiência e intensidade nas trocas de bens entre os países. O Brasil está fazendo sua lição de casa. Temos trabalhado intensamente para tornar o comércio exterior brasileiro mais ágil, simples e moderno. Entendemos que reduzir burocracia e custos é essencial para a maior competitividade do nosso setor produtivo”, disse o ministro. Continuar lendo

Comitê vinculado à Camex aprova por unanimidade importação de cota do café conilon

A  medida vale por 4 meses para um volume total de 1 milhão de sacas

Falta café conilon ou robusta no mercado brasileiro.

O Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Gecex) aprovou nesta terça-feira (15), por unanimidade, a redução de 10% para 2% do imposto de importação para o café robusta (conilon). A medida se aplica a cota de até 1 milhão de sacas de 60 kg (ou 250 mil sacas mensais), entre fevereiro e maio de 2017.

O Gecex aprovou a aplicação da alíquota máxima 35% a toda importação de café verde (todo o café arábica e, no caso do conilon, no montante que exceder a cota determinada). Anteriormente, a alíquota para importação de qualquer tipo de café era de 10%… (MDIC)

 

Brazil forced to import Robusta coffee: first time in decades

O Brasil é forçado a importar café Robusta: pela primeira vez em décadas. Isso porquê, segundo o pessoal do café de MG, o café robusta despareceu do mercado brasileiro e quando é encontrado, está muito caro a saca.

Brazil’s Agriculture Minister Blairo Maggi said on Monday he has asked the country’s Foreign Trade Chamber (Camex) for authorization to open robusta coffee imports at near zero tariff, according to the ministry.

If Camex board approves the request, it would be the first time in decades that Brazil imports coffee, amid a robusta supply crisis that threatens to sharply reduce instant coffee production.

“I understand that it is necessary at the moment,” said Maggi about the imports.

Brazil is the world’s largest producer and exporter of green coffee and also the No.1 shipper of instant coffee. It produced a record arabica coffee crop in 2016, but the robusta output fell to the lowest since 2004 after droughts in the main producing state Espirito Santo… (MERCOPRESS)

Balança comercial da segunda semana de fevereiro de 2017

Em tempos de crise temos que aproveitar para equipar as fábricas exportadoras, fazer cursos de especialização para quem deseja trabalhar na área. Otimizar produções e importações. Muito trabalho pele frente Brasil !

Brasília (13 de fevereiro) – Na segunda semana de fevereiro, a balança comercial registrou superávit de US$ 956 milhões, resultado de exportações no valor de US$ 3,847 bilhões e importações de US$ 2,891 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pelo MDIC.

A média diária das exportações na segunda semana de fevereiro chegou a US$ 769,4 milhões, 2% acima do registrado na primeira semana do mês (US$ 754,3 milhões). Houve aumento de 6,4% nas vendas externas de produtos básicos por conta de soja em grão, petróleo em bruto, farelo de soja, trigo em grão e café em grão. As exportações de semimanufaturados caíram 4,4% em razão, principalmente, de semimanufaturados de ferro e aço, celulose, ouro em formas semimanufaturadas, ferro fundido bruto e ferro spiegel.  As vendas de manufaturados registraram recuo de 2,6%, devido à diminuição nas vendas de torneiras e válvulas, óxidos e hidróxidos de alumínio, produtos laminados planos de ferro e aço, hidrocarbonetos e etanol.

Em relação às importações, a média diária registrada na segunda semana de fevereiro teve queda de 15,5% em relação a primeira semana. Caíram os gastos com combustíveis e lubrificantes, equipamentos eletroeletrônicos, químicos orgânicos e inorgânicos e veículos automóveis e partes.

MDIC

MDIC simplifica utilização do Sistema Geral de Preferências da Suíça e da Noruega

O Governo Brasileiro tem trabalhado para simplificar os procedimentos de importação e exportação. Essas medidas ajudam a diminuir os custos com os procedimentos e o tempo gasto.

Brasília (7 de fevereiro) – A utilização do Sistema Geral de Preferências (SGP) da Suíça e da Noruega foi simplificada, com a publicação na edição desta terça-feira do Diário Oficial da União, da Portaria da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX) nº 10/17, que consolida medidas de simplificação administrativa com significativos benefícios e reduções de custos nas operações para exportadores e importadores brasileiros, levantadas no âmbito do Grupo de Trabalho de Simplificação Administrativa (GTSA).

O sistema de comprovação de origem das mercadorias a serem exportadas para esses dois países, que utilizava o certificado de origem Formulário A (Form A), emitido atualmente pelo Banco do Brasil, foi substituído pelo sistema de autocertificação de mercadorias, que será efetuada pelos próprios exportadores utilizando uma Declaração de Origem em substituição ao Formulário A, após terem sido cadastrados no novo sistema REX System (Registered Exporter system). Destaca-se que o registro no sistema não implicará em nenhum custo financeiro para o exportador. Para as exportações que não ultrapassem CHF 10.300 (francos suíços) ou NOK 100.000 (coroas norueguesas) não é necessário registro no REX system… (MDIC)

Balança comercial da primeira semana de fevereiro de 2017

O Brasil pode ampliar muito as suas exportações de produtos semi-manufaturados e manufaturados. Basta investir na nossa indústria !

Brasília (6 de fevereiro) – Com três dias úteis, a balança comercial da primeira semana de fevereiro registrou superávit de US$ 212 milhões, resultado de exportações de US$ 2,264 bilhões e importações de US$ 2,052 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pelo MDIC.

A média diária das exportações da primeira semana do mês (US$ 754,5 milhões) cresceu 7,4% em relação ao mesmo período de 2016, quando registrou-se uma taxa de US$ 702,3 milhões.

Houve aumento de 10% nas vendas externas de produtos básicos (de US$ 275,9 milhões para US$ 303,4 milhões, devido, principalmente, as exportações de minério de cobre, carnes suína e de frango, petróleo em bruto e minério de ferro), 8,9% de manufaturados (de US$ 291,6 milhões para US$ 317,6 milhões, por conta de óleos combustíveis, óxidos e hidróxidos de alumínio e veículos de carga) e 1,3% de semimanufaturados (de US$ 120,2 milhões para US$ 121,7 milhões, devido as vendas de ferro fundido, semimanufaturados de ferro/aço, ouro em formas semimanufaturadas e ferro-ligas).

Já a média diária das importações na primeira semana de fevereiro de 2017 ficou 26,2% acima da taxa registrada em fevereiro de 2016 (de US$ 542,2 milhões para US$ 684 milhões). Aumentaram os gastos, principalmente, com combustíveis e lubrificantes (+137,5%), cereais e produtos da indústria de moagem (+32%), equipamentos eletroeletrônicos (+22,6%), veículos automóveis e partes (+21,4%), plásticos e obras (+20,4%) e siderúrgicos (+19,9%)… (MDIC)

Muro na fronteira EUA-México deve ficar pronto em dois anos

É inacreditável !

O muro na fronteira entre os Estados Unidos (EUA) e o México deve ser concluído dentro de dois anos, afirmou nesta quarta-feira (1) o secretário americano de Segurança Interna, general da reserva John Kelly, em entrevista ao canal Fox News. Ele disse que “o muro será construído primeiro onde é mais necessário e depois completado.” As informações são da Radio France Internacionale.

O decreto objetivando “garantir a segurança da fronteira sul dos Estados Unidos com a construção imediata de um muro” foi assinado pelo presidente Donald Trump em 25 de janeiro e provocou uma grave crise diplomática com o México. Trump espera que o país latino pague pelo muro nos 3.200 quilômetros de fronteira, para conter a imigração ilegal. Quase um terço dessa área já conta com barreiras… (AGÊNCIA BRASIL)

Trump diz que Nafta é ‘catástrofe’ e defende renovação do tratado

O Presidente Trump vai dar muito o que falar pelo mundo todo. É nacionalista.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a criticar hoje (2) o Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta) e disse que para fazê-lo ser vantajoso ou mais “justo” é preciso refazê-lo ou renová-lo.

Durante encontro com parlamentares, Trump chamou o acordo de “catástrofe para o país” e informou estar muito preocupado com o tema. “Precisamos tornar o Nafta mais justo”, afirmou.

De acordo com Donald Trump, o acordo prejudica os trabalhadores e empresas norte-americanas.  Desde a campanha eleitoral, o presidente já fazia críticas sobre as vantagens do tratado para os Estados Unidos. Há duas semanas, ao ser empossado, ele informou que iria propor a renegociação do Nafta aos países signatários (Canadá e México)… (AGÊNCIA BRASIL)

MDIC lança consulta pública sobre negociações comerciais com Japão e Coreia do Sul

Vamos participar ! Basta acessar o link abaixo e ver como fazer as inscrições

Brasília (2 de fevereiro) – O Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços lançou nesta quinta-feira consulta pública ao setor privado sobre negociações comerciais com Japão e Coreia do Sul. A consulta, com prazo de 60 dias, tem como objetivo mapear interesses em novos acordos comerciais a serem negociados entre Mercosul e Coreia do Sul, bem como Mercosul e Japão.

O MDIC quer conhecer o interesse do setor privado na abertura comercial do mercado brasileiro para cada um destes países, bem como no acesso de produtos brasileiros aos mercados da Coreia e Japão.

MDIC

Interessados na carne brasileira, mexicanos visitam 11 frigoríficos em quatro estados

Novos negócios de exportação a caminho do Brasil !

Uma missão veterinária do México está no Brasil para inspecionar plantas frigoríficas de bovinos, aves e suínos. O grupo permanecerá no país até o dia 8 de fevereiro. As visitas visam à habilitação de estabelecimentos que fornecem carnes termoprocessadas, a fim de que possam exportar para aquele mercado, segundo a Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento…

MAPA